....e Energia PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Terça, 10 Julho 2012 01:07

 

 Através da nossa experiencia pessoal podemos observar que a energia segue o pensamento até à forma: vemo-lo quando escolhemos conscientemente um objectivo a alcançar. Ao aspirarmos a algo, necessitamos primeiro de uma “ideia” de algo que queremos ter, fazer ou ser e depois da intenção e ambição de trazê-la até à forma. “Até onde a mente chega, o corpo segue-a”. Denis Waitley, psicólogo e treinador de peak performance, descreve uma experiencia com a Equipa Olímpica dos EUA em que os atletas foram divididos em três grupos. O primeiro passou 30% do tempo a visualizar o resultado da corrida e 70% a treinar fisicamente. Um segundo grupo correu mentalmente 70% do tempo e treinou-se fisicamente 30% do tempo. Um terceiro grupo realizou apenas treino físico .O segundo grupo demonstrou ser consistentemente  o vencedor.1

Esta ideia de que podemos criar a nossa experiencia através da intenção consciente e subconsciente popularizou-se através do filme/ documentário de grande sucesso “o Segredo”2  fomentando uma indústria multimilionária. Esta ideia, conhecida como Lei da Atracção, explica que aquilo que experienciamos é o resultado da combinação das frequências subconscientes e conscientes que as nossas mentes projectam num determinado momento. A ser assim, é nos dada a escolha de aceitar e tornarmo-nos responsáveis  pelo que e como escolhemos experienciar – e posicionarmo-nos como um criador com poder (causa) em vez de uma vítima inconsciente (efeito) das circunstâncias. Concluímos que uma pessoa que tem um objectivo na vida modificará as circunstâncias, enquanto outra que não tenha objectivo ou visão não será capaz de fazê-lo. Esta ideia está muito na linha do que a física quântica descreve como universo de possibilidades infinitas (ondas) que tomam um posição fixa (partícula) ou forma no momento da escolha.

A Lei da Atracção Sugere ainda que a “acção inspirada” enquanto um produto da impressão da auto-imagem da ideia, estimulando o desejo e a intenção é a única acção que vale a pena tomar. Tal acção, remanescente do “Tao”, o caminho da acção sem esforço do Este, corresponde à experiencia vivida através  correspondência da frequência ressonante com a auto-imagem e o objectivo desejado “como se” este já tivesse sido alcançado. Daí a “mentalidade de vencedor” essencial aos atletas.

A Acção inspirada é também característica do génio e do inventor cuja mente se abre a mais vastos campos de consciência que relacionam cada parte viva com o todo maior – uma passagem do micro para o macro descrita por Teilhard de Chardin como a Noosfera planetária, uma mente universal compatível com o inconsciente colectivo proposto por Jung. Será que este modelo de relacionamento universal intrínseco oferece à Humanidade um caminho em direcção à totalidade, e uma saída para a presente crise social, económica, politica e ambiental? . Pelo menos algo é extremamente claro – temos mais facilmente um sentido de auto-realização nas nossas vidas quando seguimos a nossa paixão ,  a alegria que nos faz viver e quando escolhemos objectivos que acrescentem beneficio a relações ou todos mais amplos, sejam eles a comunidade ou a sociedade no seu conjunto.

O Modelo Eléctrico do Universo3 que actualmente está a ser aceite de forma mais alargada  apresenta correspondências semelhantes. A Intenção ou vontade pode ser relacionada com a corrente ou electricidade, o magnetismo com a atracção, a informação ou conhecimento com a luz e a resistência ou impedância com a capacidade da mente de aceitar, modificar-se e adaptar-se à medida que recebe e transmite novas ideias e crenças. Examinando a nossa História pareceria que o nosso uso da tecnologia e da energia é directamente proporcional ao nosso campo de consciência. Durante a maior parte da História conhecida, a nossa utilização da energia esteve restringida aquelas formas imediatamente disponibilizadas pelo planeta, os combustíveis fosseis para a tecnologia de combustão e explosão, incluindo as energias renováveis do ar e da água. Desde que o Homem caminhou na Lua e se tornou consciente da vida na Terra num sentido objectivo dentro do sistema solar, igualmente aumentou a nossa utilização da mesma energia solar .  Hoje, à medida que exploramos mais e mais profundamente o espaço distante e mais para o interior do campo universal quântico, poderemos esperar descobrir e utilizar uma nova tecnologia que possa captar a energia eléctrica universal que presumivelmente alimenta o universe?4 Será este o tipo de energia que o grande cientista e inventor Nicola Tesla utilizou com sucesso quando afirmou, em 1893 “Antes que passem muitas gerações, a nossa maquinaria será movida por uma energia obtenível em qualquer ponto do universo”? infelizmente, a humanidade não esteve então pronta para o fazer, por conta do interesse dos seus patrocinadores no aspecto lucrativo.

Todas as formas de energias renováveis funcionam como “sistemas abertos” e daí decorre a necessidade de uma “mente aberta” ao lidar com estes temas que a ciência tem infelizmente tendido a refutar ao aderir a leis que lidam apenas com “sistemas fechados”.

 Se o corpo é uma unidade sensível e um instrumento potencial da mente que tem a capacidade de “saber”, é um facto curioso que “saber” não seja capaz de provar à consciência (awareness) “sensitiva” que o “saber” exista.

Poderá  a consciência ser definida como a consciência (awareness) da mente de autoconhecimento dentro de um campo de relações? Se a consciência se relaciona com a percepção da mente das relações dentro de um ambiente de micro para macro, poderemos afirmar que  o propósito da mente é evoluir e expressar campos de relação cada vez mais vastos? Aprendendo a dirigir as nossas energias estaremos nós, humanos, a aprender a fazer evoluir a nossa capacidade enquanto criadores conscientes da nossa experiencia planetária através do uso da nossa imaginação, visualização e atenção hábil e do fazer corresponder frequências entre todos menores e maiores?  

Com esta definição de consciência, poderemos afirmar que o propósito da vida é aumentar a nossa capacidade de amar? 


 

Jonathan Eveleigh

Life Coach (www.eco-living-alentejo.com)

 

1 www.deniswaitley.com/

2 www.thesecret.tv/thesecretfilm/

3 www.thunderbolts.info/

 

Alguns sítios da consciência…

Alubrat Portugal http://www.alubrat.pt/

Alubrat Brasil http://www.alubrat.org.br/

European Transpersonal association http://www.eurotas.org/

European association for Regression therapy

Journal of Consciousness Studies http://www.imprint.co.uk/jcs.html

The Journal of Transpersonal Research http://www.transpersonaljournal.com/en/index.htm

Vítor Rodrigues http://vitorrodriguespsicologo.weebly.com/

 

 
Home Notícias da Alubrat ....e Energia